segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Para Dani

Boas férias, povo!!!!!
Quero antes me desculpar pela demora em postar. Muita correria e pouca organização. E só. Vamos as novidades: Alana está bem, está grande, está falando pelos cotovelos e está temperamental. Está de férias e com menos de uma semana já me botou louca. Eu resolvi avisá-la que iríamos ver a vovó em Sampa e a guria enlouqueceu. Quantos dias? É hoje? Vamos, por favor, hoje...Vou dormir e acordar e vamos pra São Paulo (isso as 10 da manhã). Já é amanhã? Cada uma dessas frases dita e repetida 500 vezes ao dia. Eu sou uma pessoas de poucas virtudes e paciência não é uma delas. Eu imaginei férias cheias de atividades, passeios, cumplicidade total de mãe e filha, passeios com cachorro. Até agora manhãs tensas de mil perguntas e coisas a fazer e tardes absurdamente quentes, onde passear é suicidio lento. Fechamos o ano cheias de atividades: fono, psicopedagoga, psicologa e no ano que vem psicomotricidade. Nunca imaginei tantos psico na vida e todos de uma vez. Serão dias ocupados no começo do ano até que as coisas se acertem bem na escola e que ela consiga se expressar melhor. Alguns psicos são temporários e outros ainda nos acompanharão por muito tempo. E a mãe (eu!) terá que ser mais presente na escola, vou ter que levar ou trazer ou os dois, não sei ainda como vamos fazer, mas esse assunto é pra outro post, porque tem muito assunto. Mas antes da correira recomeçar vamos fazer uma pausa em sampinha, no mauá, mais especificamente. Logo voltamos, mas pra nao dizer que abandonei meu povo (viu, Dani, que um dia disse que queria ouvi-la cantar) vou deixar uma palhinha da nova Malu Magalhaes: Alana Fagundes, voz e violão. Só não pode reparar que o celular tá virado, tem barulho de fundo e a guria  canta mais baixo que o João Gilberto. Beijos e boas férias!!!!!!!!

video

domingo, 6 de novembro de 2011

o post mais curto do blog

Esse post é tão curto que devia ser um twitt, não um post. Mesmo assim as perguntas que me assolam há muito: Como é que tem gente com mil e tantos seguidores e eu aqui com 51? É importante ter seguidores ou ser lido? É importante ser lido ou escrever? Escrevo pra mim ou pra agradar a platéia?  Não posso desmerecer meus 51 leitores e minhas 10000 vizualizações de página, que com certeza 5000 são minhas. Então vou pensar num agrado par meus fiéis 51 seguidores enquanto continuo egoisticamente escrevendo pra mim. Tenho uns posts atrasados e até selinhos que não postei, mas vou dar um jeito nisso. Enquanto isso espero que quem nos lê continue e goste pq, mesmo sendo pra mim, escrevo de coração o que quero dividir com vcs. E 51 tem um significado muito importante para nós brasileiros: cachaça uma boa idéia! Então comemoremos!!!! Somos poucos mas somos o suficiente.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Alive

Ai, ai, que tédio. Quero me mudar logo e o logo não chega nunca! Estava eu ontem, toda gripada e inocente vendo House e o telefone toca. Era minha irmã. Atendi e ouvi uma barulheira terrível. Achei que ela estava na rua ou que a ligação estava ruim e que ela ia ligar de novo. Desliguei, ela ligou de novo e o mesmo barulho foi tomando forma. Eu me assustei, fui ficando tensa achando que ela tava enrolada de alguma forma,  coisa que nunca acontece. Minha irmã só fica enrolada com trabalhos de mestrado e agora os de doutorado. E só se enrola quando o assunto é computador. Nunca me ligou pra pedir dinheiro ou algo assim. E o barulho foi ficando familiar quando de repente eu identifiquei. E gritei. Dei um grito igualzinho as meninas no show do Justin Bieber. Igualzinho. Quase matei a Alana e o Mário do coração. Com o coração disparado (juro) eu os acalmei e fiquei ouvindo o barulho. Era um show. Mas não era qualquer show, era o show da minha banda preferida. Era o show do Pearl Jam em São Paulo, onde os ingressos estavam esgotados há dois meses. Sempre fui a shows, é o meu programa preferido. Quando morava em São Paulo ia a tantos shows que até repetia no mesmo ano alguns muito bons. Minha irmã era parceria certa. Quando vim para Porto Alegre fui a alguns, Eric Clapton, Rush, Pearl Jam. Nesse último fui sozinha porque minha filha era muito pequena e não a deixávamos com ninguém, só enfermeiras e os pais. E o pai ficou, a enfermeira ficou e eu fui. Poucos momentos na minha vida me senti tão bem. Estava super estressada desde o parto prematuro e os mil cuidados com Alana. E durante o dia era eu quem cuidava dela o tempo todo. Não tinha visitas, só fisioterapia e enfermagem. Só saía pra ir ao médico. Tava ficando bem louca. No show me senti viva de novo. Não é exagero e nem quero dizer que era ruim cuidar da minha filha, nada disso. Só que simplesmente a minha vida parou desde o parto, eu passei meses sem cortar o cabelo, fazer uma escova, comprar uma roupa pra mim. Era o momento dela e tudo girava em torno dela. E o fato dela não poder receber visitas me distanciou de todo mundo. Me sentia sozinha, e brigava muito com o Mário, porque pra quem eu ia reclamar da vida, ou da falta dela? Estou divagando porque fiquei morrendo de vergonha do gritinho Justin Bieber que dei ao telefone. Minha irmã me mandou mensagem dizendo que estava no show e me ligou ainda em mais duas musicas. Quase chorei, tive que me segurar. O Mário ficou indignado, eu tentando me explicar, mas não consegui, acabei dizendo que eu era infantil mesmo e que nunca ia crescer, humpft! Adolesci... Eu sei porque eu gritei. Fui surpreendida, não esperava. Esse ano não fui ver o Clapton e não vou ver o Pearl Jam, que vem dia 11/11. A desculpa é falta de grana, mas acho que decidi não ir porque queria assumir essa postura de mulher madura, isso não é programa de mãe. Mas eu não sou madura coisa nenhuma, e é um programasso pra qualquer mãe! A quem eu quero enganar? Ao Mário? Impossível. O homem sabe tudo o que eu penso até antes de eu pensar, um horror. Não tenho nenhuma vontade de parecer ser qualquer coisa para os outros. Acho que queria enganar a mim mesma. Não rolou. Não vou porque estamos tentando economizar e eu já fui uma vez.  Nunca vou ser a mãe madura, senhora respeitável. Sou só eu mesma, maluca dando gritinhos...

sábado, 15 de outubro de 2011

O crítico e o primeiro ano.

Tem gente que se acha, ainda com a bolsa da mãe...
Eu tenho um crítico muito particular e muito prezado que me disse que o blog é mais sobre mim do que sobre a Alana. Até acredito que esteja sendo visto assim, mas em minha defesa quero dizer que tento sempre atualizar os leitores com posts sobre o crescimento e desenvolvimento da Alana, mas eu acabo falando dos problemas que a gente passa como família e isso obviamente envolve Alana também. E também as coisas legais que acontecem comigo e envolvem a vida da Alana de alguma forma. Escapam também alguns momentos mais irreverentes, muitas vezes decorrentes de situações particulares e outras das maravilhosas "pérolas" que só as crianças soltam como o super poder da super Alana de voar no chão! Enfim, ao meu crítico fica registrado o meu empenho para "Alanizar" mais o blog e tentar deixar o meu humilde universo pessoal de lado um pouco. Só não dá pra economizar quando o assunto é maternidade: isso é comigo mas o elemento principal é Alana. Enfim, não posso identificar meu crítico pq não fui autorizada, mas posso dizer que embora crítico é um fofo que eu amo muito.
...
Alana passou de ano! Fui chamada na escola pra conversar com a psicóloga da escola, ela avaliou os trabalhinhos e me declarou toda animada que Alana está preparada para o primeiro ano. Não sei se tinha dito mas repito se for o caso: fomos indicados a uma psicopedagoga para nos ajudar na inclusão da Alana no primeiro ano em alguma escola que a aceitasse. Para a minha surpresa ela disse que se eu achasse que valeria a pena nós poderíamos avaliar a escola que ela está no momento e ver qual é a vontade da escola em incluí-la, poupando-a assim de outra adaptação em outra escola e outra rotina. Alana tem muita dificuldade em mudar a rotina e nós já estamos mudando tantas coisas que aceitei a proposta e pra minha outra surpresa a escola nesse momento se mostra toda disposta e aberta para incluí-la. Apesar da professora dela, que não é especializada em educação especial, sempre me incentivar a achar uma escola especial pra ela, a coordenação e a psicóloga acreditam que Alana pode sim ficar lá e adaptar-se a rotina de escola com provas e trabalhos e metas. Ainda não sabemos no que vai dar mas sei que elas já estão conversando e preparando o tal curriculo diferenciado. Ainda estou preocupada mas gostaria que funcionasse para evitar mais mudanças, mas se não der certo continuamos na procura.
...
Sobre nossa moradia preciso saber o quanto posso falar das nossas condições. Eu quero contar tudo mas nao quero ofender quem nos estendeu a mão. Assim que eu souber eu conto. Seria cômico se não fosse trágico...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Blogagem coletiva - Ética na internet

Eu nunca participei de uma blogagem coletiva, mas acho que essa afeta todas nós, blogueiras. Embora isso nunca tenha acontecido comigo, por que não sou uma blogueira famosa, e o blog nao recebe milhoes de visitas, mas tem leitores fiéis e estou aqui porque gosto e me divirto, além de aprender um monte e desabafar muitas vezes. Já comentei em blogs em que não gostei da postagem e é claro, deixei meu nome e endereço virtual para receber resposta. Depois de um tempo parei de comentar em posts que não gostei. Achei que tava perdendo tempo, se não gosto de algo é melhor não ler, não acessar o blog, não seguir, enfim, tem tanta coisa legal pra ver na internet que achei melhor nao perder tempo com coisas que não gosto. Eu não sabia que isso se chamava ética, achava natural. Agora percebo que ética  na internet envolve algumas coisinhas: não copiar imagens sem permissão, não copiar textos ou posts sem dar o crédito e nunca deixar comentários ofensivos, principalmente sem se identificar. Gente, é muito óbvio! O objetivo dessas pessoas não é a discussão, não é a troca, nem dar sua opinião, é só fazer barulho! Acho que esses imbecis escrevem e depois ficam rindo feito adolescente chapados. Alguns usam o anonimato para se vingar da blogueira. Fiquei horrorizada com o que escreveram pra uma blogueira com a qual tenho o maior carinho, mesmo não a conhecendo pessoalmente. A pessoa foi horrivel e esse episódio me motivou a participar da blogagem coletiva. Parece que voltei à escola primária, as pessoas usam a internet como as crianças usavam o telefone pra passar trotre. Você liga, xinga e desliga antes que descubram quem você é. O anonimo é a  nova criança maloqueira. Aperta a campainha e corre. Então nessa blogagem queria deixar claro que esse blog apesar de pequeno se opõe totalmente a falta de ética e anonimato nos comentários, e ao copie e cole indiscriminado das pessoas sem imaginação que acham que os blogues são a casa da mãe joana. É dificil postar, véio! Você pára o que tá fazendo, todo mundo tem o que fazer, mesmo que seja descanso, você pára de descansar, imagina um assunto ou tenta relatar algo que aconteceu, tenta escrever de uma maneira atraente, preza seus leitores, enfim, tem um envolvimento, um compromisso e não é justo alguem se apropriar disso e botar seu nome! É pirataria e pirataria é crime. Cadê o respeito aos direitos autorais? Espero que as pessoas tomem consciencia e participem da blogsfera com respeito e responsabilidade. Seria mais agradável pra todos.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Alucinações...

Sabe quando a pessoa tá tão cansada que começa a ver coisas? Então estou eu na sala, arrumando caixa, fazendo um lanchinho de pão com ovo, que eu amo e de repente vejo algo se mexendo na parede. Se mexia bem lentamente, era uma minhoquinha branquinha, parecia um verme. Que nojo!!!! Tenho que remover essa coisa nojenta. Peguei papel e um pedaço de pau pra cutucar o treco, não ia meter a mão naquela coisa se mexendo. E quando cutuco...o negocio cai duro no papel. Duro mesmo, era um pedaço de MIOJO SECO! Alana comeu miojo hoje e nao queria comer, ficou fazendo festinha com o garfo, deve ter voado o tal miojo na parede. A pergunta é: COMO É QUE O NEGÓCIO ESTAVA SE MEXENDO?!?!?!?!?!?!?!?!? Cansaço faz mal pra vista. Ah, sim, eu digo que vou sumir e fico vindo aqui e postando. Não consegui desapegar, acho que só qdo cortarem a luz...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mudança temporaria

Qdo escrevi o outro post achei que ficaria fora da blogsfera por um tempo pelos motivos obvios que uma mudança, ainda mais urgente, causa as tecnologias e mídias da casa.Ainda não saí, fico indo e vindo, olhando recados e blogs. Agora resolvemos o problema da moradia emergencial. Não é a melhor solução mas é uma solução e vamos enfrentar isso. Quero agradecer a todos que nos apoiaram e os que se preocuparam conosco, obrigada de coração! Agora não há mais motivo para preocupação sobre onde morar, as coisas estão se encaminhando. Essa semana será corrida mas acredito que na outra semana estaremos temporariamente fixados e daremos mais notícias. Alana está meio febril há uns dias, mas está animada como sempre. Hoje vai pra escola, acabou o feriadão. qdo ela fica em casa em feriado e fim de semana ela vira um clone do pai. Nem liga pra mim e tudo o que ela me pede e recebe um não ela pede pro pai tambem. E vice versa. hoje tenho que marcar fono e desmarcar um exame que ela faria amanhã, a polissono. Quero muito que ela faça pra saber se ainda tem apneia. Ela tinha apneia qdo nasceu, mas parece que é comum aos prematuros. A dela permaneceu por causa do problema nas cordas vocais. enfim, são tantos detalhes, qdo fizermos o exame eu explico direitinho. Boa semana a todos e boa mudança pra nós.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Mudança e pausa

Olha só gente amiga, eu não queria trazer más notícias, que na verdade tá mais pra um período ruim do que notícias ruins permanentes. Quando eu disse outro dia que teríamos novidades e fiquei de dizer quais era a respeito da nossa mudança de casa. Moro num lugar muito mal administrado e localizado num morro bem alto. Aqui em Poa tem muito morro, não são necessariamente lugares ruins de morar, tá cheio de gente boa e descente, mas fisicamente é difícil pra mim morar num lugar tão alto e frio, muito frio. Então por esse e outros motivos decidimos comprar um apartamento num lugar um pouco melhor. Eba! Eu queria fazer um post da mudança e da casa arrumadinha, mas nada aconteceu como o previsto. Vendemos o apartamento para uma vizinha de bloco que nos disse que poderíamos ficar o tempo que fosse necessário para achar outro lugar. Não fiquei folgada esperando, saía todos os dias e encontrei um lugar dentro das nossas possibilidades. Usamos a mesma imobiliária pra negociar tudo e demos uma entrada gorda pro financiamento do restante ficar suave. O tempo passou e nada do financiamento sair, e a vizinha mudou de idéia. Quer o apartamento para ontem, quer reformar e quer que a gente saia. Falamos com o agente da imobiliária e ele disse que pra entrar no outro precisamos esperar mais uns 40 dias. E cá estamos, loucas para dar boas notícias, mas sem poder fazê-lo. Não temos nem lugar pra ir , nem onde deixar as coisas, caso fiquemos em um hotel, gastaremos um dinheiro que nao temos, enfim, uruca total. Não quero causar comoção, nem despertar pena, só estou contando pra explicar porque estaremos sumidas do blog por um tempo. Na internet estaremos eventualmente, mas só volto a blogar com tudo resolvido, então nao achem que sumimos por motivo de saúde ou coisa pior. Estamos bem, Alana tá com virose, mas estamos bem no geral. E também postei para que, se alguem souber de um lugar desocupado pra nós por pouco tempo nos ligue: 51 96404541. Ficaremos felizes em receber ajuda e com a certeza de que as coisas se ajeitarão, não sabemos como ainda, mas tudo vai acabar bem, com ajuda de Deus.  Desculpem pelas férias forçadas, mas voltaremos com mais novidades boas assim que essa correria passar. bjs e bjs.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Exploração Discovery Kids


Eu sempre achei meio fraco esse negocio da discovery kids, mas as crianças adoram e Alana estava super empolgada. Curtiu muito todas as atividades, ela pula, dança, responde. Tinha uma guria super esperta que respondia tudo antes e os outros ficavam no vácuo. Guria danada, pequenininha e bem esperta. Alana respondia atrasado mesmo, no seu estilo to nem aí, se divertiu bastante. Dançou com Angelina, andou de trem com os amigos do Doki, reciclou com Artzooka, viu o fundo do mar com os Octonautas, enfim, curtiu. E no final pode conhecer pessoalmente o Doki e tirar foto. Se emocionou, adorou e fez pose. Eu queria tirar foto tb mas nao podia mãe, só criança. Tudo bem, eu tenho foto com o Barney, com Emília, com Chiquinha do Chaves e com o Oscar do basquete. #magoeiemevinguei.
No trem pra começar a exploração

Guardando os machucadinhos do patrocinador Band aid

Aula de transito

E finalmente....
DOKI!!!!!!


Depois compramos livro da Polly e batemos papo



quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Coisas boas

Alana na escola (nesse dia tava muito frio)
O objetivo desse blog sempre foi falar da Alana e de como minha vida mudou depois que ela chegou. Mas os últimos posts tem sido sobre assuntos mais sérios e tenho notado que minhas amigas ficam preocupadas. Agradeço por toda força que dão e temos sim passado por momentos mais delicados. Mas eu queria relaxar um pouco hoje então vamos falar de coisas boas.
Nas férias nos compramos um caderno de atividades da Moranguinho e desde então ela tem sempre solicitados fazer atividades antes de dormir. Então fazemos atividades e lemos, depois dormimos abraçadas. Tem coisa melhor? Como já fizemos todas as atividades moranguinho, como ela diz, eu me lembrei que comprei há algum tempo uma cartilha, aquelas antigas, Caminho Suave. Agora ela faz atividades de cartilha, estava treinando a escrita, que era a grande dificuldade dela, e está melhorando a cada dia. É legal ver como uma brincadeira gostosa pode ajudar tanto nas deficiências da criança. E lemos toda noite agora, portanto ela está lendo cada dia melhor e eu to super orgulhosa. Ela pergunta: "Você tá muito golhosa de mim?" Morro de rir. E encho de beijo.
Outra coisa boa é que ela está mais independente, tira a fralda e joga no lixo sozinha, lava as mãos e quer escovar os dentes sozinha. Outro dia me perguntou sobre o que aconteceria na aula naquele dia.
"Mãe, hoje tem pátio?"
"Não sei"
"Hoje tem educação física?"
"Não sei"
"Tem fantasia?"
"Não sei"
"AH, deixa que eu olho na minha agenda..."
"?!?!?!?!?"
Quem é esse ser independente que consulta a agenda, minha gente?
Ao mesmo tempo tem querido ficar mais no colo, super carinhosa, continua fazendo show pro banho, mas  adora o pós banho. Morre de cócegas. Acha bebês a coisa mais linda. Uma fofa. Como diz o povo por aí, não tem preço.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Atualizando

Fotinho recente da fofíssima.
Oi gentem! Atualizando. Levei uma chamada da psicóloga, pq esse mês fomos só uma vez por causa da chuva. Eu expliquei pra ela que sem carro fica difícil sair com Alana na chuva, pq ela não sabe se proteger com sombrinha, fica toda molhada e eu não consigo mais carregá-la. Não dá pra ir de táxi pq é longe, mas entendi que é necessário um esforço maior pra que o tratamento dê resultado. Combinamos de ir duas vezes por semana e que qdo eu faltar pago a consulta assim mesmo, a menos que seja cancelada com 24 horas de antecedência. Tive que dizer sim pq entendo que se desmarcar em cima da hora a sala fica sem uso e a empresa (é uma clínica) perde. Só que eu sei que faltamos qdo não dá mesmo pra ir, então se isso ficar difícil financeiramente vamos ter que estudar outra forma de acordo ou outra forma de tratamento em outro lugar. Não quero que isso ocorra, são muitas mudanças então vou fazer o máximo pra dar certo, só o futuro dirá. Fomos na neuro, conversamos sobre a escola e definiu-se que a prioridade é encontrar uma escola pro primeiro ano da Alana, pq eu to procurando às cegas e tá difícil. Ela me indicou uma profissional que é pedagoga e dá esse tipo de orientação, onde encontrar escolas pra crianças especiais. Era pra eu entrar em contato hoje, mas acordei toda errada e fiquei de molho. Acabei me esquecendo (eita mãe!) de ligar, mas amanhã será a primeira coisa que farei no dia. Vamos ver se as coisas andam mais rápido. Tirando novos sintomas que eu acho que são da fibro por causa do stress, está tudo bem.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Novos olhares sobre a escola

A pessoa descobriu os óculos escuros
Tive a tão esperada reunião com a escola. Professora e coordenadora. Acho que nunca fui tão franca. A postura "tudo vejo" da professora sumiu, e como não gosto de contrariar só pra discutir deixei que a nova postura ficasse como oficial. Ela disse estar o mais atenta possível, principalmente em relação a Alana, por ela ter necessidades especiais e as duas tentaram me tranquilizar de que a Alana não seria um alvo de nenhum aluno mais agressivo, que os casos na sala já estavam sobre controle e que a Alana talvez não fantasiasse, mas talvez a dificuldade de comunicação tenha gerado algum problemas de entendimento. Eu disse que meu maior medo era que ela perdesse a confiança no adulto responsável (a prof.) por não ser levada a sério em sua reclamações e elas disseram que todas as reclamações serão investigadas e que eu poderia ficar tranquila. Tô tranquila? Não. Mas é um longo trabalho e tenho que confiar nos profissionais  ou achar um lugar melhor. Na verdade tenho ido a alguns lugares e ficado entre decepcionada e desesperada. As escolas especiais que visitei me parecem creches de segunda linha. Fui muito bem tratada, mas nada me convenceu  no sentido de aprendizado. Me parece que as crianças estão mais sendo cuidadas que educadas e cuidar eu cuido, não preciso pagar. Apenas uma escola do município pareceu mais preparada, mas eu nem conheci as salas pq a diretora foi bem clara dizendo que aquela não era escola pra Alana. Eu tb acho que uma escola especial seria complicada pela diferença das sindromes e idade dos alunos. Ela fica muito bem onde está, mas cada reunião de pai e prof sinto que tenho uma criança Jekill e Hide. A prof descreveu uma Alana ás vezes completamente alheia, com surtos de choro e raiva, desobediente ao extremo, incapaz de se fazer compreender ou sistematizar o aprendizado. Ela disse que Alana está muito diferente do ano passado, trazendo novos componentes no comportamento, talvez novos sintomas da síndrome. Pode ser, a cada ano vão aparecer novas coisas. Meu marido tb acha que ela é muito desobediente, talvez eu seja a mãe cega. Em casa os surtos são raros, mas existem. A comunicação funciona na maioria das vezes e nós duas fazemos várias atividades que ela adora e tem mostrado novos conhecimentos a cada dia, inclusive pra novas línguas. Ainda sem saber o que fazer, ainda visitando outras escolas, ainda esperando um parecer da escola atual para o primeiro ano, sigo procurando as soluções para os novos problemas. Acho que tenho que ler mais sobre a doença, andei dando uma relaxada, achando que o que estamos fazendo estava funcionando. Ela está cada dia mais carinhosa e mais parceira. Ainda temos umas pendências com a psicóloga, que tem que dar um retorno pra escola e falar com a neuro. E a partir daí a escola volta a falar comigo. Porque não marcamos um chá e todas falam o que é preciso? Seria muito bom ver como os profissionais interagem. Enfim, como sempre, seguimos na luta, pedindo a Jeová Deus que nos oriente nesse caminho da educação da Alana. Ah! tem mais uma: sabia que a empresa de transporte público de Porto Alegre disponibiliza um passe livre para crianças e adultos especiais ou deficientes? Legal né? Não se vc for autista. Se vc for Down tem passe livre, se for autista te vira. Para eles o autista tem que comprovar Retardo Mental. Enfim, como já tinha conversado com a neuro, é muito complicado fazer com que as pessoas entendam um problema que não é visível. Se Alana tiver uma  crise de pânico num super mercado ela é mimada. Tenho que levar um atestado pra mostrar que ela tem um problema. Além de sofrer tem que provar, até pro cobrador do ônibus. Exclusão dentre os excluídos.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Vamos trabalhar?

Eu e minha fofíssima
Estive pensando em como poderia ganhar uns trocados pra ajudar aqui em casa, já que temos duas estudantes agora...Ainda não posso trabalhar fora, espero que isso mude logo, mas sempre faço algo, sempre crafitando. Eu nunca quis que esse blog fosse um local para negócios, mas sempre quis ter meu negócio na internet. Tentei outros blogs mas não consigo dar conta de mais de um blog. E minha cabeça tava em outra sintonia, pensando em coisas pra Alana. Mas agora eu vejo que poderia mostrar algumas coisinhas que tenho feito e ver o interesse das pessoas. Claro que fico super insegura mostrando as coisas, mas seria bom poder arcar com os custos da educação aqui em casa, pelo menos. Ainda recebo ajuda e isso me deixa muito dividida pq acho legal ter quem ajude, mas gostaria de tirar deles esse peso, afinal todo mundo tem sua vida pra viver. Enfim, acho que vou preparar umas coisas e posto em seguida pra vcs verem. Ainda não sei como vender mas vou descobrir, talvez pela Elo7. Então me aguardem e se gostarem digam, ou comprem, o que tb ajuda muito!!!

sábado, 6 de agosto de 2011

Férias e novidades

Cabelos domados, férias turbulentas.
Oi, gentem! Nossa férias foram turbulentas. Primeiro, eu gostaria de saber se 10 dias podem ser consideradas férias? Depois, quem inventou "ficar doente nas férias" é um xarope. Só corremos e ficamos doentes. Fomos a um evento bem bom, mas foi super correria, ainda to cansada. Não deu tempo pra passear, só médico e chuva. Não consegui achar uma escola pra Alana, não sei se ela vai voltar pra escola dela, ela ainda tá doente. Boa notícia é que voltei pra faculdade, má notícia é que os horários não estão batendo e nao tenho com quem deixar Alana qdo sai da escola. Estamos vendo as possibilidades, mas tá difícil. Mas, então, dessa vez vai ou racha, tenho que terminar o curso ou deixá-lo pra lá. Confesso que minha paixão diminuiu e que estou fazendo pra poder voltar a trabalhar e bancar minha filha "cara". Atualmente recebo ajuda da minha família em Sampa, mas vc sabia que foram feitos estudos e chegaram a conclusão que uma criança especial no Brasil "custa" em torno de 3 mil reais para os pais? Eu sei que tem gente que gasta mais, mas é pq tem, né? E esses três mil são só pra educação e coisas relacionadas com a deficiência intelectual da criança. Ainda tem o custo que qq criança tem. Todos gastamos com comida, roupa, médico e lazer. Então pretendo suprir isso com um salário um pouco melhor que o diploma deveria me proporcionar. Veja bem, não há garantias, é só prevenção, pra não ficar eternamente nas costas dos outros, que tb tem vida pra tocar, né? Mas como disse, paixão diminui, mas o amor não acabou. Arquitetura é uma coisa que encanta e envolve e eu já to nesse amor há tanto tempo. Está sendo bom voltar (até a loucura das entregas começar...)Então, tenho blogado pouco por falta de tempo, mas sempre pensando  "que saudade do blog, das amigas, de tudo". Tenho curtido a filhota o mais que posso. Alana está numa fase muito carinhosa. E, por três dias, não fez o xixi noturno na fralda. Será que o tão desejado desfralde chegou? Para crianças especias alguns atrasos físicos são comuns, algumas infelizmente não desfraldam nunca. Mas acho que não será o nosso caso. Alana está lendo cada dia melhor e é mais divertido fazer dever de casa com ela. Minha paciência voltou, com o sono regulado. Larguei o Rivotril (antiansiolítico) e iniciei um relaxante muscular Miosan, com supervisão médica. A adaptação foi horrível, com dores de cabeça e sono o dia todo, mas agora já fiquei bem e voltei a ser mais ativa e com pouca dor. É a felicidade retornando pra esse corpinho castigado! Estou mais paciente, mais ativa, mais esperta, menos aflita, cheia de planos. Até agora a dieta foi forte por 3 semanas e dei uma matada geral depois. Tenho que voltar forte. Sem coca por 3 semanas, sem açúcar, evitando fritura e sem pão francês. Perdi 2 quilos, é lento eu sei, mas as calças já voltaram a entrar e isso é incentivo pra qq um. Vou postando as novidades, ok? Já visitei todos os blogs e seguimos na luta. Milhões de beijos!!!!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Por essa eu não esperava

Minha fofa inocente!
Esse não é um post feliz. To passada, com muita raiva. Sexta feira fui buscar Alana pq tem aula de musica e a perua volta antes, sempre o pai busca e me pediu já que eu tava na rua. Fui cheia de sacolas e enquanto esperava via a auxiliar e comentei algo que me afligia. Já tinha alguns dias que Alana reclamava de algumas agressões de colegas. Achei meio normal, são crianças pequenas e algumas são mais agressivas. Alana não é agressiva. Já vi ela tomar sopapo de um menino de 2 aninhos e chorar sem parar. Nunca a vi agredir ninguem, só tem que tomar cuidado com crianças menores pq elas caem facilmente e tb os abraços que podem doer um pouco. Enfim eu falei pra auxiliar sobre as reclamações da Alana e ela me confirmou que a menina que Alana mais mencionava era mesmo agressiva, a ponto de os pais serem chamados na escola pra conversar. Ela me sugeriu falar com a prof titular pra dar mais força a minha reclamação. Vocês não tem idéia do que ela me disse.
" Alana FANTASIA, OU SEJA INVENTA, as agressões para chamar a atenção."
Eu fiquei catatonica, eu não consegui acreditar que todas as agressões e reclamações da Alana eram encaradas como invenção. Nós trabalhando a autoestima e confiança da menina feito loucos e vem uma pessoa supostamente no papel de educadora desacreditando a minha filha quando ela mais precisa de apoio!!!!!!!!
A única coisa que eu consegui dizer foi: "Isso é impossível. Alana não tem essa capacidade de inventar coisas ainda, principalmente pq ela não precisa da atenção dos adultos. Ela só pode repetir o que aconteceu, se não tivesse sido agredida não inventaria." Eu queria bater nela, bater muito e dizer que ela estava inventando aquele olho roxo pra chamar a atenção. Eu deveria ter feito algo, só não sei o que. Ela ficou repetindo a mesma frase (ela inventa) até eu parar de falar e eu parei. Fiquei horas sem falar nada. Chorei horrores. Não quero que ela volte pra escola. Ela adora a escola. Não quero que ela volte pra esta escola. Não tenho segurança de que será cuidada. Lembro-me de uma vez, qdo ela estava internada e o alarme dela tocava toda hora. Ninguem sabia pq, o oxímetro tocava o tempo todo. Trocamos de aparelho e continuava. Comecei a perceber que as atendentes só olhavam de longe, e nem se prestavam a ir até o berço ver se estava tudo bem. Fiquei apavorada, mas não sem ação. As UTIs neo não tem lugar pra sentar. As incubadoras são altas e os pais ficam em pé. Eu ficava em pé o dia todo. Tinha hora do descanso dos pais numa sala ao lado, com sofas e poltronas. Como ninguem me ouvia e ninguem fazia nada a respeito do oximetro e nada a respeito do desconforto dela eu agi. Eu pensava "se está alarmando algo está errado, tem que ter alguem aqui o tempo todo, temos que fazer mais exames". Uma médica chegou a dizer que ela queria chamar a atenção (um bebê de 4 meses, com 1,50kg!!!!!). Fui até a sala dos pais e arrastei um sofá até o meio da UTI diante dos olhos arregalados das medicas, mães e atendentes. Encaixei o sofa na frente da incubadora, deitei e peguei um livro ra ler. Fiquei no meio da uti, deitada num sofá. As pessoas tinham que desviar de mim pra entrar ou sair de lá. As mães que tinham coragem perguntavam o que eu estava fazendo e eu dizia: Estamos com poucos profissionais e minha filha precisa de alguem que cuide exclusivamente dela, pq ninguem sabe o que ela tem. Naquela noite eu fui pra casa e apareci as 3 da manhã sem avisar. Disse que estava insegura pq não sabia se alguem ia cuidar da minha filha direito. Quase matei a enfermeira de susto pq nao era comum os pais ficarem de madrugada. Ganhei o nome de A louca da UTI. Logo ela foi levada pra mais exames, e ganhou um quarto só pra ela. Estavam tentando isolar a louca pra que não houvesse uma revolução de mães que queriam mais atenção para seus filhos. As vezes ficava uma guria pra cuidar de 8 bebes!!!!! No final descobriram uma pneumonia (!!!!!!) e ela teve que ser entubada de novo. Isso levou a novos exames e um diagnóstico, o que resultou num tratamento e finalmente a alta. Então valeu a pena dar uma de louca. Mas e agora? Dou um de louca e faço o que? Tiro ela da escola? Com certeza! Reclamo pra quem sobre o assédio? Pro Papa? Frustrante, frustrante....Me sinto uma completa incompetente em não seguir meus instintos iniciais. Nunca gostei da profi, sempre a achei arbitrária, desatualizada, preconceituosa. Mas achava que ela gostava da Alana, agora nem sei, acho que suporta. Alana é um doce, mas tem uma mãe bem azeda. Achei que eu deveria dar uma chance e arrisquei colocando ela lá. Achei que era bom, mas não foi. Ela aprendeu um monte, evoluiu, mas agora acho que não é mais o lugar pra ela.Vamos procurar outro e vamos achar, se Deus quiser.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Reclamação


Eu acho que nasci velha. Desde que me conheço por gente reclamo, senão o dia todo várias vezes ao dia. É um hábito horroroso, acho que adquiri por crescer com meu pai, que era muito rabugento. Algumas reclamações tem fundamento mas não precisariam de tanta repetição. Eu já tentei melhorar mas me esqueço com facilidade das coisas e acabo reclamando de ter memória fraca e o ciclo recomeça. Sou uma pessoas bem humorada e evito confrontos ao máximo, mas eu reclamo, nem que seja em forma de piada. As vezes a reclamação vem antes de pensar em qualquer coisa e depois eu noto que seria fácil resolver, ou a solução está logo ali, enfim, reclamo antes e tudo recomeça. Já tirei gente do sério, já criei fama, já cansei de mim, como agora. Tenho reclamado muito dos 5 quilos que ganhei quando parei com o Rivotril. Ouvi muito que não deveria parar de uma vez sem orientação médica. Mas já tinha ficado um tempo sem e não queria tomar de novo do nada, até porque precisa de receita e eu não tinha. Tive que parar e fiquei com medo de voltar. Tive dores horríveis e muitas caimbras, nos lugares mais inusitados possíveis e nas horas mais inconvenientes. Já consultei um médico e estou tomando um relaxante muscular e tenho que fazer uns exames. O relaxante também tem seus efeitos e to dormindo até as 11 na semana e até as 14 nos fins de semana. Não me pergunte como faço pra cuidar da Alana, se eu contar o conselho tutelar tira ela de mim ninguem acredita que acaba dando tempo de fazer o necessário pra ela e me atrasa o dia todo.
Enfim, adaptações. Mas o que eu queria dizer é que cansei de reclamar dos quilos e resolvi fazer uma coisa que não faço há 7 anos: DIETA. Estou de regime.Tudo que eu vejo na tv tem a ver com sobrepeso, qualidade de vida, mais energia, exemplo pras crianças, estou saudável televisivamente, mas na prática a teoria é outra. Nenhuma roupa entra, o que entra fica horrível e parece que eu ganhei 20 quilos a mais, nao sei pq, me sinto inchada e roliça. Então chega de reclamar e vamos agir. Amanhã vou tirar aas medidas e uma foto. Vou caminhar e vamos ver o que acontece. Adeus coca, queijo quente, sonho de valsa e bife frito. Olá saladas, frutas, suco e bife grelhado. Adeus cama até as 11, ola caminhada de manhã, isso se o remédio deixar. Daremos um jeito e lógico não ficarei magrinha, mas pelo menos os 5 quilos que estão me matando vão ter que ir. Não é só uma questão de vaidade, é uma questão de honra. Quero reclamar de outras coisa, peso é muito clichê. tá eu sei que sou essencialmente clichê, mas não tenho grana pra um novo guarda roupa. E é lógico, quero ser um bom exemplo pra minha pequena qe começou cedo na vida a batalha pra ganhar peso (lembre-se que ela nasceu com 830gr) e em seguida pra perder peso (por causa da medicação). Vamos ser mais saudáveis e eu prometo só reclamar da crise mundial ou do preço dos combustíveis. Espero o apoio de vcs amigas blogueiras, vou conseguir.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Enquanto isso na Alanalândia...

Alana você é um super herói?
Sim, sou a Super Alana!!!
Qual é o seu super poder?
Eu sei voar no chão!!!

Alana esse vestido está bonito!
Não, não está funcionando...
Está bom sim!
Não, ele não está rodando, está quebrado.

Oi Alana, como vc está?
Pra Ni ver a bota que a  Rorró mandou
Estou linda!

Mãe, não quero esta maçã.
(a maçã está meio murcha)
Por que?
Ela está morta.

Bom findi!!!!

domingo, 3 de julho de 2011

selinho Juliana e Jay e Sandra

Eu sou a pessoa mais desorganizada que conheço, sem sombra de dúvida.
Eu tenho uma memória ridícula e não faço juz ao carinho das pessoas na blogsfera.
Exemplo, a Juliana do blog Meu mundo de Sophia me mandou um selinho faz tempo e eu não postei ainda, a Sandra do blog Projetando pessoas também mandou selinho e eu, nada e a Jay do blog Espacinho da Jay, minha irmã gêmea de idéias e pensamentos também mandou selinho e eu tenho que responder umas coisas.
Agora estou tentando me retratar e agradecer pelos selinhos e carinho dessa pessoas maravilhosas que ainda tem paciencia comigo e me mandam carinho em forma de selinho. Mil beijos pra cada uma.

Esse selinho ganhei da Juliana do Meu mundo de Sophia, mãe da linda da Sophia e tenho que indicar 10 blogs: espacinho da jay da Jay,
          liten da Thalita Sampaio,
          tecidinho da Nívia
          projetando pessoas da Sandra
          maine da Rejane
          diário de uma mãe polvo da Mari
          cha de baunilha da Bela
          fernanda reali da Fernanda
          luz de luma da Luma
          inventando com a mamae da Chris.
          Todos são blogs que eu sempre leio e com certeza algumas já ganharam esse selinho, mesmo assim o que vale é o carinho. Beijos, blogueiras queridas, amigas virtuais que me ensinam tanto.

         
Esse eu ganhei da Jay, pessoa gêmea de mim mesma, do blog Espacinho da Jay e tenho que responder umas coisas: 1 - Linkar quem te mandou o selinho.
                 Já fiz
           2 - Quais são seus maiores sonhos?
                 Ver minha filha crescer, me formar, viajar bastante.
           3 - Aparência importa?
                 Depende do que estamos falando, mas pra mim quase nunca. É só casca, logo a gente descarta.
           4 - O que é ser feliz?
                 É estar bem com suas escolhas.
           5 - Você é uma pessoa amiga?
                 Sim, uma chefe me disse que meus amigos nunca apanham sozinhos.
           6 - Conte-nos 4 defeitos.
                 Sou insegura, ansiosa, teimosa e indisciplinada.
           7 - Agora 4 qualidades.
                 Sou esforçada, solidária, divertida e carinhosa.
            8 - Tem algum preconceito?
                  Sim. Tenho baixa tolerância a pessoas burras.
            9 - Indicar alguns blogs.
                  Como ela não disse quantos vou indicar 3:
                   bia mello da Bia
                   adriana eulalia  da Adriana
                   colacorelinha da Marcela.
Esse eu ganhei da Sandra do Projetando pessoas, que sempre melhora meu dia quando me visita e quando eu a visito. Tem tarefa também:
1ª - Agradecer a quem lhe enviou.
2ª - Escrever um post sobre ele.
3ª - Entregar o selo a 12 blogs - acho que vou repetir alguns
4ª - Mencionar no post os blogs selecionados
5ª - Avisá-los sobre o recebimento do mesmo.
 Obrigada Sandra, pelo selinho e pelo carinho, escreverei um post sobre vc e te aviso.
Agora os blogs: retromomentos 
                         vestido de rodar 
                         babygirl fashion
                         villapano 
                         a casa está cheia de flores
                         modinha pitchu 
                         tagarelices de uma filha, pensamentos de uma mãe
                         minha casinha nova
                         piscar de olhos
                         mae de primeira 
                         kids and baby 
                         criança bem vestida 
          Algumas das blogueiras desses blogs tive pouco contato, mas achei que seria legal incluí-los na minha lista de carinho, já que estão na minha lista de blogs preferidos, que eu sempre leio. Mas tem algumas que são queridas amigas, que não conheço pessoalmente mas é como se conhece desde sempre. 

E era isso, dever cumprido, carinho devolvido e post finalizado. Vou jantar, beijos.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Sem carro, sem bike e sem taxi.

Minha pequena biker.
É incrível como fica dificil arrumar um taxi em dia de chuva em Porto Alegre!!! Nunca frequentei uma cidade onde taxi fosse tão popular e nos dias de chuva nenhum gaúcho quer andar, quem não tem carro vai de taxi. Daí vem o único problema que vejo em não ter carro. Em outro post declarei minha vontade enorme de ser verde. Sempre trabalhei no meio de arquitetos, paisagistas e urbanistas e nesse povo ferve a veia verde. E pessoa verde que se preze minimiza a sua contribuição de monoxido de carbono na atmosfera, joga a chave do carro fora e compra uma bike. E a coisa ficou feia aqui em casa, carro dançou, não comprei a bike ainda, vamos como Geraldo Vandré, caminhando e cantando. Desde então tenho tentado ver o lado bom: não pago seguro, não vou ser roubada se estacionar na rua, não vou ter que pagar estacionamento, não vou ser assaltada quando voltar para o carro de noite, não preciso ficar sem beber quando sair (sou super caxias), vou ter que caminhar e quem sabe emagreço (sempre no sobrepeso), enfim, muitas vantagens. Daí que Porto Alegre faz muito frio, daí que eu moro na região mais fria de Porto Alegre, daí que tem a fibro que dói com o frio, daí que tenho filha pequena que até caminha mas não dá pra abusar, daí que chove e TODOS os taxis desaparecem. Eu disse todos porque são todos mesmo. Como alguem pode ser verde na chuva? A vontade de ter uma carro volta. Com pouca força. Ainda me vejo de bike no meio, ou melhor, no lado do transito, dando minhas pedaladas, com corpinho sarado, toda trabalhada na saúde, capacete e óculos tipo Lance Armstrong. E os veículos midiáticos emplacam notícias seguidas de ciclistas atropelados no transito. E as prefeituras com interesse mínimo ou nenhum em construir ciclovias. E a vontade de ter uma bike diminui. Mas ainda quero. Estou lendo uns blogs sobre ciclismo e seus benefícios. Sei que carro é útil, mas queria muito precisar pouco dele. Quando enfim consegui o táxi a vontade de ter um carro foi embora de novo. Até a próxima chuva.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Inclusão.

Lê, escreve e passa aspirador. Super prendada!!!
Então. Quando começo com então é porque o assunto é quente. Inclusão escolar. De novo. Fui chamada na escola da Alana para uma reunião. Como eu previa as notícias não eram boas. A escola está preocupada com o ingresso da Alana no primeiro ano, no ano que vem. Ela está lá desde o ano passado e fez muitos progressos. Mas ainda tem muita dificuldade na rotina de escola. Não faz todos os temas, precisa de ajuda pra fazer alguns trabalhinhos, se estressa e sai andando quando o assunto não é do interesse dela. A professora acha que ela nao vai acompanhar a primeira série, ficar sentada, fazer o que se pede sem ter alguem do lado. É certo, ela precisa de alguem dizendo FAÇA. Ela nao tem foco. Melhorou muito, mas ainda não está madura o suficiente. Isso foi o que me disseram. Pedi o curriculo adapatado. Por meio da neuro solicitamos o tal curriculo adaptado. Na escola explicaram que o pedido vai ser analisado porque em cada caso a adaptação é diferente(óbvio!!!). No caso dos alunos que tem TDAH o currículo adapatado é mais tempo. No caso da Alana nao sabemos. O que eles acham é que ela vai precisar de um auxiliar só pra ela durante o período da aula. Na mesma escola tinha uma guria com Sindrome de Down. Precisou tb de um auxiliar. A escola arrumou e mandou a conta para o pai. Lógico que nao rolou, pagar escola, auxiliar e todos os custos de uma criança especial só sendo filho do Eike Batista. Gasto horrores com os cuidados com Alana, se tiver que pagar um auxiliar tenho que vender um rim...a cada 6 meses... e eu só tenho dois rins! Enfim, não me propuseram isso, mas não me contariam o caso da guria se não fosse com a intenção de me preparar. A professora sugeriu claramente que eu procurasse uma escola especial. A neuro me deu alguns nomes de escola que tivesse curriculo diferenciado. Na verdade ela me deu nomes de escolas especiais pq as com curriculo diferenciado deveriam ser regulares com inclusão. Liguei, marquei entrevista e fui. Em dez minutos de conversa a diretora me disse: "Essa menina não é pra nossa escola. Nossos alunos tem deficiencias muito graves." Ela tinha razão, alguns alunos nem falam, são crianças com doenças e sindromes muito invasivas, com alto comprometimento cognitivo (uau! to falando que nem elas). Ela ficou encantada com a Alana. Pq? Deve ser por que ela tem 6 anos, lê e escreve e desenha. Disse que estava avançada pra uma escola regular!! Agora, tenho um problema. Achar uma escola pública inclusiva ou uma particular inclusiva que não custe mais que a minha faculdade! Gentem, é muito caro mesmo. E tem tudo o que acompanha a entrada na escola, material, uniforme, condução. Afffffi... Ainda recebi a dica de que as escolas inclusivas na minha cidade estavam todas localizadas nas zonas mais pobres e com alto indíce de criminalidade. Não sei porque, mas é assim. Ficaram de me passar os nomes, vamos ver. Ainda recebi uns nomes de escolas com olhar diferenciado, as que seriam ideias pra ela. Seriam escolas particulares com inclusão como parte do programa. Comecei a ligar e os preços deram medo. E aí, que faremos? Estudar ela vai, de qq jeito, é um direito dela. Mas quero que ela fique onde será valorizada e não encarada como fardo. stou decepcionada, mas não em pânico. Olhando o começo disso, qdo procurei escola pra ela na primeira vez, até que to calminha. Gostaria que pudesse estudar em casa, colocaria numa escola infantil e cuidaria da educação dela até que pudesse entrar numa escola regular. No Brasil não pode. Tem que ir pra escola. Minha filha não é genio, não é avançadíssima. É esperta e aprende rápido. Mas se entedia com facilidade e acho que esse tem sido o caso na escola. Eu vejo os temas, ela não acompanha, mas acho que não tem muita vontade, ou tem dificuldade em algumas áreas mesmo. Precisamos de interesse. Parece que o interesse das escolas é se livrar do problema. Só mais uma coisa, parece que é lei, mas fui avisada que a escola tem a obrigação de arrumar o tal auxiliar nesses casos. Mas será que vale a pena lutar pra ficar num lugar onde não te querem, ou acham que você se encaixaria melhor em outro lugar?

terça-feira, 7 de junho de 2011

Eita frio!

Fazendo um tricozinho básico pra combinar com o frio!
Na verdade os efeitos do frio estão bem piores que o frio em si. Hoje amanheceu chovendo e ficamos de molho de novo. Fico toda dura no frio, mas procuro fazer coisas que me aqueçam pra nao piorar a rigidez. Alana melhorou um pouco. Digo pouco porque ainda não parou de tossir, nebulizar, usar bomba e tá encatarrada. A sorte é que dessa vez não teve febre, mas mesmo assim tomou antibiótico. E eu orelhuda comprei um antibiótico genérico, achando que era a mesma coisa. Não funcionou e só atrasou o tratamento. Quando a gente fica no vermelho por muito tempo, começa a pensar em soluções pra economizar, e eu que nunca comprei remédio generico pra Alana caí na conversa da farmácia e achei que tava fazendo um negocião. Levei uma leve chamada da pneumo, que é tão querida e educada que nunca dá bronca, só chama a atenção. Dra. Simone Fagondes está com a gente desde que Alana tinha 3 meses e ela se lembra do dia que nos conheceu!!! Ela foi a pessoa que solucionou o problema da Alana qdo estava internada e só piorava, e ninguem sabia o que ela tinha. Qdo descobriram o que era chamaram a Dra. Simone, que desde então está com a gente entra frio, primavera e viroses de verão. Confio muito nela, e sempre que penso em voltar pra São Paulo penso que vamos perdê-la e isso pesa! A essa altura eu nao queria mais consultar pneumo, mas acho que no caso da Alana vamos ter que nos acostumar. Enfim, hoje tinha consulta e tive que desmarcar pq acho que se ela pegar esse frio que tá lá fora vai ficar pior, então vou arriscar continuar cuidando dela em casa, como estávamos fazendo, sob orientação médica, lógico. Nós fomos na Dra. Simone, ela a examinou e deu o tratamento. Queria voltar pq ainda tem bastante catarro. Mas vamos continuar o tratamento, se piorar corremos no  pronto atendimento.Eu quis falar bastante sobre nossa gripe porque percebi que algumas pessoas se surpreendem quando dizemos que ainda estamos de molho. É chato, mas é assim mesmo gentem. Teve um ano que ela ficou dois meses sem sair de casa! Ela é frágil e eu sou mole, porque pego todas as gripes dela, minha imunidade é super baixa e morro de medo disso. Só que não sei como melhorar isso, aceito sugestões. Enfim, de molho, brincando bastante, comendo muito (outro post) e tentando dormir, pq só dá pra dormir qudo ela dorme e quem disse qe ela dorme? Sugestões de brincadeiras dentro de casa? Só mandar. A gente brinca, grava e manda pra vc se divertir assistindo. bj

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Com pouco

Estamos de molho de novo, ainda tomando antibiótico e tossindo horrores resolvi que nao iríamos sair hoje, mesmo tendo uma reunião (outra!) na escola, dessa vez com a psicóloga do grupo gestor da escola. Sobre a outra reunião farei outro post, porque era mesmo o que eu pensava: nenhuma notícia boa. Mas não quero falar disso agora. Desmarquei a tal reunião porque  não ia sair com a minha pequena tossindo os tufos nesse frio de Porto Alegre. Ficamos em casa.
"O que você quer fazer?"
 "Jogar futebol com a Vitória e com a mãe."
Eu afastei os móveis e jogamos bastante, até a cachorra ficou cansada. A casa está de cabeça pra baixo, mas queria que ela se distraísse.
"Fique no sofá descansando, vou fazer seu almoço."
 Ela não comeu direito e isso sempre me deixa nervosa, tá sem apetite. Tava abatida e eu tentando animá-la. 
"O que você quer que a mãe faça pra você?"
"Um desenho da Angelina Ballerina."
Fui procurar no google e fiz o desenho. Bem podre porque não queria apagar, queria fazer e pronto. Os erros ficaram e o desenho ficou todo torto. Ela amou. Pintou e recortou e começou a brincar com a "nova boneca".
Eu achei o máximo, ela adaptou o desenho e se divertiu. Logo pediu mais.
"Agora eu quero a Poly Mouselling, a Vicky, o AZ, a Miss Mimi..."
Alana e Poly Mouselling
Fui fazendo todos os benditos ratos do desenho, ela pintou e recortou, que é uma dificuldade grande pra ela, tanto pintar como recortar. Os desenhos pintadinhos que as crianças dão para os pais colocarem na geladeira, no nosso caso, são rabiscos pintados de rabiscos. Eu os amo mas sei que são rabiscos. A única coisa que ela desenha super bem são ratos, muitos ratos. 
Ela está brincando agora com as novas bonecas, está se divertindo em casa e eu estou numas de fabricar ratos de papel em massa. Bora desenhar mais ratos. Criança se contenta com tão pouco. 

domingo, 29 de maio de 2011

Ocupada

Trabalhou demais
Pois é, quem não está? Estou numa faxina louca e tentando entregar um trabalhinho que peguei de costura. A fibro não dá folga, depois da gripe piora muito, mas to fazendo um pouco por dia. Definitivamente não sou cachorreira e a Vitória escolhe os piores dias pra soltar mais pelo, acho que é stress, pq é impossível não se estressar comigo, quando estou com dor fico uma megera. Tenho dormido bastante mas nunca parece o suficiente. Acho que a alana tem causado alguma confusão na escola, um dia disse que a amiga tinha mordido o dedo dela e no outro brigou com a outra amiga por causa de uma boneca. A professora marcou reunião e confesso que cada vez que tem reunião eu fico devastada. Odeio reunião de pais, é sempre muito frustrante pra mim. Quase cheguei ao ponto de passar essa bola pro pai, que disse que aceitaria numa boa, mas não tive coragem de largar o osso. Enfim, terça feira é dia de enfrentar a profi. Dependendo do que acontecer estamos pensando em novas possibilidades, mas vamos ver o que acontece primeiro. Voltando a faxina louca, vcs já viram aquele programa Acumuladores? Estou quase assim, tanta tranqueira, tanto papel, tanta coisa que nunca mais vou usar...Quero dar adeus as lembranças e me livrar de , pelo menos, metade da casa (what?!?!?!?!). Sim, metade, quero ver o chão debaixo da cama. Então estamos super ocupadas. Embora a Alana não esteja me ajudando na faxina ela tb está ocupada.
-Alana, vamos tomar banho!
-Agora não dá, tô ocupada.
-Alana, vamos comer pra ir pra escola!
-Agora não dá, tô ocupada.
-Alana, tá na hora de dormir, desliga o computador!!!!!!
-Agora não dá, não estou pronta pra dormir, estou ocupada.
Vocês já viram criança mais ocupada nesse mundo?

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Só um alô

Olá pessoas que nos visitam! Só estou passando pra dar uma satisfação, tá? Ficamos um tempão sem internet e logo em seguida emplacamos três gripes: gripe da Alana, gripe minha e gripe da Alana de novo. Só correndo atrás de médicos e tentando dar conta do básico. Eu sou muito fraca pra doença, não consigo fazer nada, nada e tô cheia de compromissos não cumpridos pq não melhoro nunca. Vou ao médico hoje, até agora só Alana foi, e embora eu quisesse sarar a moda antiga, acho que tenho que ir pq nao vejo melhora e nao posso ficar gripada for ever!!! Logo voltaremos com todas as novidades que temos pra contar,ok? Todas são ótimas e quero contar tudo pra vocês. Mil beijos e saudades do todos os leitores!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Eu queria ser milionária, não...bilionária...não...Tio Patinhas!

É isso mesmo, queria ser o Tio Patinhas. Eu sou clichê mesmo, quero o que todo mundo quer: dindin. Tenho certeza de que não preciso de dinheiro pra ser feliz, apenas quero saber como é não se preocupar tanto com as contas. Queria ter uma dessas idéias malucas que deixam a pessoa rica. Eu gosto de trabalhar e quero muito trabalhar de novo na minha área, mas se já não ia ficar rica qdo tinha 20 anos agora muito menos (tempo). E não é um objetivo, não estou enlouquecida jogando na loto, trabalhando 20 horas por dia, tendo idéias sobre coisas a fazer, não sou gênio de nada. É só uma vontade, uma curiosidade. Poder fazer coisas que não posso só porque não tenho dinheiro, poder pagar as contas bem certinho, poder ajudar quem precisa, quem merece, quem eu gosto. Acima de tudo poder fazer as coisas sem ninguem achar que sou maluca, porque pessoa maluca+dinheiro=excêntrico!!!Acho que na verdade quero ser excentrica. Deve ser muito bom ser excentrico, por enquanto só escuto doida, relaxada, sem noção. Queria: humm, excentrica, que atitude! Assisti A Rede Social. O filme é surpreendentemente bom! Sim, sou altamente influenciável e amei o filme. Amei tudo, o guri besta, o guri legal, o Justin Timberlake que acho muito talentoso enquanto ator desde Alpha Dog (que também achei ótemo). Não virei fã do criador do Facebook, mas senti inveja dele. Ele sabia que um dia ia fazer algo que o tornaria rico, tinha total noção de como seria seu futuro. Ele é genial, um idiota, mas genial. Senti inveja da clareza de idéias, da falta de medo de desagradar, e sobretudo da possibilidade de andar de chinelo e meias sem ser importunado.
Hoje fui no mercado de chinelos e meias. Sorry, sou assim desde sempre, não consigo ficar arrumada por muito tempo. Sei me comportar, pessoas, existe hora pra tudo, mas qdo estou em casa ou a vontade to nem aí. Não saio de rimel todo dia, mas nao dispenso filtro solar. Já tive meu dia Michael Jackson e fui no hospital (pela enésima vez) com a roupa com a qual dormi. Só meu marido notou, pq ele dormiu comigo e viu a roupa. Acordei cansada e atrasada e não queria perder a visita do médico no leito da Alana ( na época era o 4° mes de internação) e fui. Lavei a cara, escovei os dentes e fui. Meu marido quase infartou quando chegou as 19 horas e eu estava no hospital desde as 7 da manhã. Enfim, gosto de ser relax, mas sei que posso passar uma impressão diferente. Estou em paz, ainda vou muito no mercado de chinelo e meias, mas tenho certeza que com dinheiro seria alguém de atitude e não relaxada. Ter dinheiro deve ser legal, viajar, como queria viajar...Mas paciência, não serei bilionária e tudo bem. Fico na vontade, mas o chinelinho com meias eu não dispenso.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Perdas e ganhos

Preciso postar mais, tem tanta coisa pra falar e tão pouco tempo. Por exemplo, ganhamos um presente. O primeiro presente de uma mamãe blogueira. A Chris do ://inventandocomamamae.blogspot.com/ nos mandou um livro sobre perdas. Alana simplesmente não liga qdo perde as coisas ou quando elas quebram. Eu sofro, acho que pq sempre tive pouco. Não é um lamento ou uma reclamação, é só uma constatação. Dou mais valor as minhas coisas do que ela. Sou apegada, fico triste quando empresto algo e não me devolvem. Preciso melhorar muito isso, desapegar e, acreditem, estou treinando. Enfim, ficamos super felizes com o presente e achei que depois de ler a história a Alana ia entender que deve cuidar melhor das coisas dela. Ledo engano. A temática era outra, era sobre dar importância ao que realmente importa, perdas que não podemos repor e não coisas materiais. Acho que o livro fez mais efeito em mim do que nela. Ela adorou, achou que o menininho do livro era a cara de um amigo dela que mudou de escola. E desde então o livro se tornou o livro do Vitor. Só não coloco a foto do guri pq nao tenho permissão dos pais, mas parece muito com a ilustração do livro. O livro é lindo, comovente e ensina mesmo sobre as perdas reais e difíceis, ela achou divertido e eu fiquei pensativa. Que valores ensinar? Por que é tão difícil dar exemplo? Por que sou tão apegada as coisas? Meu marido disse que ia fazer uma limpa nos brinquedos da Alana e eu quase chorei: não faz isso!! Daí que ele achou realmente necessário fazer isso, mas não fez ainda. Estou tentando tomar a frente e fazer a faxina eu mesma, mas o tempo não ajuda. Desapego tem que ser a palavra de ordem, vou conseguir. Quero muito agradecer a Chris pelo carinho, as amigas da blogsfera tem preenchido um vazio na minha vida, porque longe das amigas fico muito solitária nessa cidade. Descobri depois de velha que é difícil fazer amizades. Talvez eu deva ser mais acessível, vamos rever conceitos gerais essa semana. Reflexão, semana da reflexão. É claro que fiz amizades aqui, mas não podemos conviver muito por causa da correria da vida. Já lá em sampa os amigos estão na casa ao lado, no máximo na cidade ao lado, à distancia de uma ligação e sempre tem babá pra cuidar da Alana. Aqui já é mais complicado, tudo mais complicado, mas não há de ser nada O outro livro que aparece na foto é da Moranguinho. Nós fomos ao medico levar exames e a neuro disse que ela está ótima. Ficamos tão felizes que fomos dar uma volta no shopping, coisa que não fazíamos há tempos. Lá ela pode comer no restaurante, conforme ela mesma havia pedido e escolher um livro. O da coleção Moranguinho foi a escolhida e o livro era bem legal. Fala sobre pedir ajuda quando precisamos. Mais uma vez mexeu mais comigo do que com ela. Ela só se diverte por enquanto, acho que aprende algo, mas não sei o quanto.Os dois livros foram bem úteis pra mim e um dia serão pra ela tb. Por que as crianças parecem tão melhor resolvidas do que os adultos ( no caso eu)? Quando será que a autoestima deles começa a ficar abalada? Será na escola, na adolescencia? Será o ambiente que determina as mudanças ou os hormônios? Eu estou tomando um remédio necessário pra um tratamento hormonal. Hormônio não é fácil, me faz ficar megera total. E mudo de assunto super rápido. Estou bucólica e o Osama está morto. E até agora a frase mais interessante que ouvi sobre isso foi do Berlusconi (pois é!): "Não devemos comemorar o assassinato de um ser humano, mas o mundo sente um certo alívio..." Não sei porque o alívio, mas parece que os americanos estão aos pulos...Não acho certo rir da morte dos outros, mas um fulano no twitter quase me fez rachar de rir qdo twitou: "Ex-sama". Adoro trocadilhos. É o fim, pelo menos pro Osama. 

A pessoa super concentrada na leitura...


sábado, 23 de abril de 2011

Bolo!

 Ontem teve dia lindo e dia chuvoso e resolvemos fazer um bolo.
Alana resolveu fazer um bolo. Eu não tava nem um pouco a fim, mas resolvi apoiar.
Ela queria fazer uma surpresa pro pai, afinal ele é o unico que realmente come o bolo.
Eu provo, ela nem isso e ele come com gosto, dá vontade de fazer só pra ele mesmo.
Enfim separei os ingredientes e ela os misturou. Até quebrou ovo (uma lambança), mas se divertiu.
Cantou o tempo todo, ela gosta mesmo, nao desistiu no meio do caminho.
Na hora de assar ela dormiu, mas nós registramos quase tudo.

domingo, 17 de abril de 2011

A descoberta da cambalhota e o esmalte mais lindo do mundo!!!!

Eu não me lembro quando aprendi a dar cambalhotas e me lembro que "virava estrela" com muita facilidade. Hoje subir escada é uma vitoria, mas não é sobre mim, é sobre Alana. Ela já queria dar cambalhota faz tempo, mas nós somos neuróticos (eu e o pai) e temos uma história que beira o terror: quando eu tinha 3 anos quebrei o pescoço numa queda de meio metro, sentada, num montinho de areia de construção. Passei 8 meses num hospital e tenho as marcas dos parafusos na cabeça, além de ter usado gesso por muito tempo e ter recebido apelidos carinhosos durante todo o processo (tipo Frankestein, múmia entre outros carinhosos apelidinhos). Passado morreu, estou ótema, nenhuma sequela, a não ser as marcas dos parafusos. Mas eu caí na besteira de contar isso para meu excelentíssimo esposo, que pirou, ficou chocado e pobre Alana, nunca podia subir em nada, escalar nada, pular de nada. Até hoje escada pra ela é um desafio, além do fato de ele não ter tido estímulo físico adequado nos primeiros 6 meses, devido a internação hospitalar e nos outros 6 meses, devido internação domiciliar. Passado morreu de novo e hoje estamos felizes por ela estar bem e querer fazer essas coisas, cambalhota, pular e escalar. E consegui fazer um filminho porque ela ficou tão animada que pediu pra tirar foto, e eu filmei né? Podre, no celular, mas tá valendo.
video

Fala pra mim se não é a descoberta de todo um novo mundo quando a gente aprende essas coisas?!?!?!?!

Ontem foi dia de Blogagem de Esmalte no Blog da fernanda reali e eu me atrasei, mas vou postar hoje pq o esmalte é simplesmente o mais lindo de todo o mundo: Metal Glam SPFW da Impala. Achei ruim de passar mas o resultado compensa. Vou colocar uma fotinho, que nao ficou boa, mas tá valendo. Junto com as unhas a leitura da semana da Alana, mas vamos falar disso no proximo post. Beijos e boa semana a todos.



segunda-feira, 11 de abril de 2011

Eu, na visão da Alana.


Minha pequena observadora!
Eu to sempre postando sobre desenhos animados (por que será?). Tem um muito engraçadinho que Alana gosta bastante chamado Octonautas. São animaizinhos que efetuam resgates no fundo do mar, resgates de outros animais em perigo, óbvio. São fofos e no final do resgate eles fazem um Relatório de Espécie, falando sobre o animal resgatado em forma de música, acho que o objetivo é fazer a criança se lembrar do animal resgatado e suas características. Aqui em casa a gente pára tudo pra cantar e ontem estavam Alana e o pai dela fazendo vários relatórios de especies, entre elas a Vitória e eu. "Vamos fazer, um relatório de mamãe!". Na mente da Alana a espécie mamãe é assim: "Ela gosta de fazer comida, ela gosta de cuidar da roupa, ela gosta de cuidar da Vitória, ela gosta de computador pequeno (notebook). Ela é a mãe, é a mãe!"
 Essa sou eu!!!!! Minha filha me resume como uma dona de casa que usa o computador!!!! Eu achei muito legal, mas me fez pensar na maneira como ela me vê. Ela não conhece minhas paixões, ou eu não tenho dado muita atenção a elas. Mas mesmo assim achei fofo, pelo menos ela vê que eu me dedico a casa, e a cachorra...Segue o desenho para apreciação (pena que só achei em espanhol). O relatorio de especies em espanhol ficou informe de criatura. Alana fazia a voz principal e o pai fazia a voz dos bichinhos! Muito cute cute. bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails