segunda-feira, 18 de julho de 2011

Por essa eu não esperava

Minha fofa inocente!
Esse não é um post feliz. To passada, com muita raiva. Sexta feira fui buscar Alana pq tem aula de musica e a perua volta antes, sempre o pai busca e me pediu já que eu tava na rua. Fui cheia de sacolas e enquanto esperava via a auxiliar e comentei algo que me afligia. Já tinha alguns dias que Alana reclamava de algumas agressões de colegas. Achei meio normal, são crianças pequenas e algumas são mais agressivas. Alana não é agressiva. Já vi ela tomar sopapo de um menino de 2 aninhos e chorar sem parar. Nunca a vi agredir ninguem, só tem que tomar cuidado com crianças menores pq elas caem facilmente e tb os abraços que podem doer um pouco. Enfim eu falei pra auxiliar sobre as reclamações da Alana e ela me confirmou que a menina que Alana mais mencionava era mesmo agressiva, a ponto de os pais serem chamados na escola pra conversar. Ela me sugeriu falar com a prof titular pra dar mais força a minha reclamação. Vocês não tem idéia do que ela me disse.
" Alana FANTASIA, OU SEJA INVENTA, as agressões para chamar a atenção."
Eu fiquei catatonica, eu não consegui acreditar que todas as agressões e reclamações da Alana eram encaradas como invenção. Nós trabalhando a autoestima e confiança da menina feito loucos e vem uma pessoa supostamente no papel de educadora desacreditando a minha filha quando ela mais precisa de apoio!!!!!!!!
A única coisa que eu consegui dizer foi: "Isso é impossível. Alana não tem essa capacidade de inventar coisas ainda, principalmente pq ela não precisa da atenção dos adultos. Ela só pode repetir o que aconteceu, se não tivesse sido agredida não inventaria." Eu queria bater nela, bater muito e dizer que ela estava inventando aquele olho roxo pra chamar a atenção. Eu deveria ter feito algo, só não sei o que. Ela ficou repetindo a mesma frase (ela inventa) até eu parar de falar e eu parei. Fiquei horas sem falar nada. Chorei horrores. Não quero que ela volte pra escola. Ela adora a escola. Não quero que ela volte pra esta escola. Não tenho segurança de que será cuidada. Lembro-me de uma vez, qdo ela estava internada e o alarme dela tocava toda hora. Ninguem sabia pq, o oxímetro tocava o tempo todo. Trocamos de aparelho e continuava. Comecei a perceber que as atendentes só olhavam de longe, e nem se prestavam a ir até o berço ver se estava tudo bem. Fiquei apavorada, mas não sem ação. As UTIs neo não tem lugar pra sentar. As incubadoras são altas e os pais ficam em pé. Eu ficava em pé o dia todo. Tinha hora do descanso dos pais numa sala ao lado, com sofas e poltronas. Como ninguem me ouvia e ninguem fazia nada a respeito do oximetro e nada a respeito do desconforto dela eu agi. Eu pensava "se está alarmando algo está errado, tem que ter alguem aqui o tempo todo, temos que fazer mais exames". Uma médica chegou a dizer que ela queria chamar a atenção (um bebê de 4 meses, com 1,50kg!!!!!). Fui até a sala dos pais e arrastei um sofá até o meio da UTI diante dos olhos arregalados das medicas, mães e atendentes. Encaixei o sofa na frente da incubadora, deitei e peguei um livro ra ler. Fiquei no meio da uti, deitada num sofá. As pessoas tinham que desviar de mim pra entrar ou sair de lá. As mães que tinham coragem perguntavam o que eu estava fazendo e eu dizia: Estamos com poucos profissionais e minha filha precisa de alguem que cuide exclusivamente dela, pq ninguem sabe o que ela tem. Naquela noite eu fui pra casa e apareci as 3 da manhã sem avisar. Disse que estava insegura pq não sabia se alguem ia cuidar da minha filha direito. Quase matei a enfermeira de susto pq nao era comum os pais ficarem de madrugada. Ganhei o nome de A louca da UTI. Logo ela foi levada pra mais exames, e ganhou um quarto só pra ela. Estavam tentando isolar a louca pra que não houvesse uma revolução de mães que queriam mais atenção para seus filhos. As vezes ficava uma guria pra cuidar de 8 bebes!!!!! No final descobriram uma pneumonia (!!!!!!) e ela teve que ser entubada de novo. Isso levou a novos exames e um diagnóstico, o que resultou num tratamento e finalmente a alta. Então valeu a pena dar uma de louca. Mas e agora? Dou um de louca e faço o que? Tiro ela da escola? Com certeza! Reclamo pra quem sobre o assédio? Pro Papa? Frustrante, frustrante....Me sinto uma completa incompetente em não seguir meus instintos iniciais. Nunca gostei da profi, sempre a achei arbitrária, desatualizada, preconceituosa. Mas achava que ela gostava da Alana, agora nem sei, acho que suporta. Alana é um doce, mas tem uma mãe bem azeda. Achei que eu deveria dar uma chance e arrisquei colocando ela lá. Achei que era bom, mas não foi. Ela aprendeu um monte, evoluiu, mas agora acho que não é mais o lugar pra ela.Vamos procurar outro e vamos achar, se Deus quiser.

13 comentários:

  1. Amiga, a revolta chegou ate aqui. E o pior é nao conseguir ter um orgao muito competente pra avaliar o caso. Mas sinceramente? Eu apurrinhava esta professora ate tomarem alguma atitude. Faria como vc fez na UTI, ficava no pe mesmo. A cada reclamacao da Alana, faria um barulhao! Quem sabe assim eles aprendem e tomam uma atitude? Sei como vc deve estar se sentindo e o instinto é mesmo arrancar logo a Alana de lá. Mas vc mesma disse que ela tem aprendido tanto.O que nao significa que deve continuar e ser vitima de bullying, ne? Mas sei o quanto vc tem forca quando o assunto é sua pequena. Portanto, pense melhor e veja se nao ha mesmo nenhuma outra opcao antes de tira-la de lá. Certamente surtira mais efeito pra ela e, quem sabe, outras criancas tambem se as atencoes se focarem no tema ao invez de facilitar a vida da professora lunatica ao tirar a Alana de la.
    Até porque falar sobre bullying ta na "moda" e os pais querem saber mais a respeito enquanto as escolas morrem de medo de virarem foco de noticia! Sei la, imprime material, provoca um movimento, pede pra dar uma palestra, diz que vai chamar a Globo...qualquer coisa que os deixem melindrados (escola e professora) e que percebam que vc nao esta pra brincadeira. Ai, sei la...desculpe botar fogo, mas é que o sangue ferve nessas horas, ne? Aff...
    Beijocas, querida!

    ResponderExcluir
  2. Querida, o seu instinto de mãe sempre vai falar mais alto! Tem coisas que não tem nos livros, mas existem no coração materno. Vc só ganhou mais ainda minha admiração contando essa história da uti neo natal. E qto a escola, briga, vai em frente, vai fundo! Um absurdo ouvir esse tipo de coisa!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Oi flor...li seu relato e me emocionei, sou professora e mãe e te entendo perfeitamente...a unica coisa que posso te falar é: TIRE DA ESCOLA, se não confia não deixe sua princesa lá.
    Bjsss amada

    ResponderExcluir
  4. Toda vez que leio o post choro. O problema é que ela vai entrar em férias amanhã. Então só posso fazer algo se ela voltar pra lá nas férias. Ainda to em duvida, obrigada pelo carinho, bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Nanci!
    Te conheci no grupo do face, e me emocionei com o seu relato!És muito guerreira e tem mesmo que fazer tudo pela sua filha!
    Acho que tem que tirar a Alana dessa escola!
    Essa professora me parece bem acomodada, e o pior é que nos sentimos quase que sem voz porque não temos mesmo para quem falar, uma defende a outra...e infelizmente não se vai a lugar nenhum!
    Ai mulher, e acabei de ver que és gaúcha!Tb sou, vai lá conhecer meu blog!
    Beijos em vcs
    A Alana é linda!

    ResponderExcluir
  6. Oi,que coisa chata e desegradável,vc já conversou com a diretora?Ela não pode tratar sua filha assim, o pior é que pode pegar implicância com a menina...gente sem noção...
    Não fique quieta mesmo não,como bem disse a Mari,instinto de mãe não falha,nunca...
    Boa sorte e bjs!!!

    ResponderExcluir
  7. Sis, segue teu coração. Coração de mãe pode até se enganar, mas não é comum. Ainda mais num caso destes. A Alana é grandinha, e você pode aproveitar as férias pra ir falando com ela. Quanto à escola, faz barulho mesmo! Se quiser, fazemos até um panelaço virtual (sua mana é doida com D maísculo!). Qualquer coisa que eu possa fazer, usando blog, twitter, face, voz, sinal de fumaça, conta comigo. NA MINHA SOBRINHA NINGUÉM TOCA!

    ResponderExcluir
  8. Pode ter certeza que se sentes isso é porque tens razão. Mãe sabe. Mentalize uma boa escola e tu vais achar exatamente como desejas e ela merece. Já passei por isso e troquei meus filhos de escola muitas vezes. E hoje estão felizes porque segui minha intuição e escutei meus filhos. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Amiga passei por aqui para te desejar um Feliz Dia do Amigo e fiquei agoniada com o seu relato e a sua angústia!!!
    Como queria estar por aí para te dar um abraço carinhoso e ouvi-la e tentar ajudar de alguma maneira. Mas de longe e tão fora do seu dia-a-dia fica tão difícil!
    Estou rezando para Deus te iluminar e mostrar o melhor caminho! Que pelo que me parece você como mãe, pelos seus instintos e proteção, já é abençoada pela Luz Dele!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  10. Amanhã o ProjetandoPessoas comemora 11 meses de existência! E de amanhã até 24/08, quando o Blog completa 1 ano de vida, preparei uma sequência de surpresas para o Blog, homenageando grandes amigos de jornada! Espero que você aprecie a minha forma de celebrar essa conquista e me passe seu feedback sincero a medida que meu plano de 30 dias de festa avance! Serão dias diferentes de postagens até aqui! Mas tenha certeza de que está sendo preparado com muito carinho para todos! Aguardo seus comentários, críticas construtivas ou sugestões, ok?
    Com muita admiração e respeito por cada um de voces! bjs e abraços Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//
    @ProjetaPessoas
    Projetandopessoas@hotmail.com

    ResponderExcluir
  11. Eu sou insistente, cadê você amiga?
    Espero você no ProjetandoPessoas!
    Um excelente final de semana!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  12. Oi, amiga.
    Pois é, passamos por situações parecidas.
    E é mesmo revoltante!
    O pior é que no caso da minha pequena, outras mães também tem reclamado da escola. Só que parece que conosco aconteceram ainda mais coisas. Incrível que no ano anterior eu não tinha reclamação nenhuma da escola. E eu sei que a minha filha sempre foi muito querida por lá. Só que, depois que passei a reclamar, vai saber o que aquelas professoras falam. Mas o problema é delas, porque eu não vou ficar calada diante das coisas erradas que tenho visto e ouvido falar.
    Faça o mesmo. Siga seu coração de mãe.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Ola, viu seu comentario no MMQD e quis te dizer uma coisa: Nunca desista, sua filha vai passar por muitos abusos (fisicos e psicologicos) todos passamos, mas pessoas "diferentes" (como nossa sociedade dita serem) sofrem bem mais, o que vai fazer ela ser feliz, ser boa, ter respeito, se desenvolver é você e seu marido. Eu sou psicologa, filha de pais maravilhosos e com 1 irmao mais novo com surdez profunda, 100% desde que nasceu. Hojé ele tem 21 anos, já é formado no ensino superior trabalha em uma empresa de grande porte na area dele, em 3 meses foi promovido, tem hobbies, amigos e etc... sofreu muito preconceito, já apanhou muito, já sofreu muito e mesmo assim é a pessoa mais feliz que já conheçi na vida (to chorando de emoção, porque falar dele sempre me comove)tudo isso só aconteceu porque meus pais foram magnificos, eles sempre tentaram entender ele ao em vez de rotula-lo, desafiaram ele como uma pessoa "normal", mas davam todo o suporte para ele poder vencer os desafios. Meu pai até hojé (veja bem meu irmão tem 21 anos), e até hojé meu pai faz "aulinha" com ele antes de dormir, escreve palavras na cartolina e fica repetindo com ele até ele acertar, faz redações, explica palavras diferentes, e etc... meu irmão sabe linguagem de sinais mas se comunica com leitura labial, porque assim quis, com 5 anos meus pais deixaram ele escolher se queria aprender leitura labial e estudar em uma escola "normal" ou se queria aprender linguagem de sinais e estudar em escola com pessoas parecidas com ele, e ele naquela idadezinha, disse que queria poder conviver com qualquer um e que se fosse para uma escola especial não poderia aprenderia a convevir com outras pessoas. Claro que sua situação é beeeem diferente, não estou dizendo que deva continuar na escolinha, muito pelo contrario no seu caso acho que tem que tirar mesmo! dou todo apoio, mas o que quero te falar com essa historia é: nunca desista de ensinar e cuidar da sua filha, parece bobo dizer isso, mas chega uma hora que cansa, nessa hora lembra do que eu estou te dizendo, resista a canseira e bola pra frente, eu te garanto que tem um resultado muito positivo lá frente, e melhor do que você imagina (porque eu conheço muitos deficientes auditivos, muitos, mas nenhum conseguiu o que meu irmao conseguiu, quase todos já repetiram de ano, ou não tem amigos ou não sabem se comunicar com ninguem, nem comprar pao na padaria, meu irmao andava de onibus sozinho desdos 12 anos, e sabia achar o caminho quando se perdia, dava um jeito de pedir ajuda, ele é campeao brasileiro de kart é um idolo meu como pode ver, rs) em fim desculpa tomar seu tempo e escrever tanto, mas fique firme que com certeza você colherá muitos frutos bons! Estarei orando por você e sua familia ;)

    ResponderExcluir

Escreve que eu respondo! Vou responder aqui mas prometo fazer uma visitinha de volta!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails