quinta-feira, 22 de março de 2012

Psico..mo..sititsi...dade

Gente, é o pior psico de falar e o mais divertido de frequentar. Psicomotricidade. Quem conhece Alana pessoalmente sabe que ela caminha, corre, mas tem limitações por falta de estímulo. Quem sabe um pouquinho da nossa história sabe que ela foi prematura extrema, 830 gramas e 26 semanas, e que teve uma longa internação. Quando veio pra casa ficou por um bom tempo sem estímulos externos, sem contato com outras crianças, cheia de cuidados, enfim, primeiro filho, prematuro, pequeno, frágil, não tinha essa de jogar pra cima e pegar, nada de se pendurar em lugar nenhum, pracinha só tem germes, estimulo motor quase zero. A gente brincava com ela em casa mas tinhamos muito medo de machucá-la.  Teve mais um agravante: filha de pais velhos. Somos velhos, éramos velhos qdo ela nasceu e o lance da cuca fresca passou longe. Tinhamos medo de tudo, depois do perrengue inicial. Então uma das coisas que acontece é que ela tem muito medo de brincar, se pendurar, se balançar. Tem medo de barulhos, gritos (festas barulhentas e pracinhas as vezes a deixam nervosa, outras vezes ela ama). Ela é bem moleca, mas é muito assustada. Parece uma velhinha, reclama da tv alta, das crianças gritando na praça... Depois de anos vendo minha filha na pracinha só no tanque de areia e correndo um pouco pra lá e pra cá tive um momento maravilhoso qdo ela subiu no escorregador pequeno e desceu morrendo de medo. Repetiu várias vezes deu até pra gravar. E também se aventurou na balança. Pensei: chegou a hora de colocá-la em alguma aula de exercício físico. Eu achei que ela ia querer o balé, mas graças ao WII, mas especificamente Mário e Sonic nas olimpíadas ela está apaixonada por ginástica ritmica. E na escola dela tem essa modalidade como extra curricular. A professora disse que ela está indo muito bem, acompanha todos os exercícios. Só está incomodada com a barulheira pois a aula é bem dinamica. Eu vi, é uma loucura, muito pulo, muita risada, tombo, grito. Fiquei apavorada e ela adorou. A professora está sendo muito legal e isso é muito bom. Outra atitude que tomamos foi inciar o trabalho com uma psicomotricista. Ela é um amor, ainda está avaliando a Alana para intervir aonde for preciso. Já me mostrou várias deficiencias, mas tudo tem tratamento. Ela simplesmente amou, até de perna de pau ela já andou. Não gravei, fiquei estática dando gritinhos que misturavam o pavor e o encantamento. Então é isso, estamos atacando a falta de estímulo por todos os lados. Hoje me arrependo de tanto cuidado, mas atribuo tudo ao medo. Medo de machucá-la e ter que voltar pro hospital com ela. Medo de quebrar qualquer coisa nela, enfim, medo. Ainda tenho, mas não me paralisa mais. Agora eu tenho medo e seguimos em frente.
video

15 comentários:

  1. Acho que toda mãe tem medo, sis, especialmente num caso como o da Alana, que teve tantos problemas ao nascer.
    Mas fico feliz que você não esteja deixando o seu medo te paralisar, porque se você parar, ela também para.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. A gente tinha medo sim e temos ainda, mas estávamos seguindo orientação médica, que desestimulou várias atividades comum as crianças, para que não ocorresse outros problemas. bjs, siszinha.

    ResponderExcluir
  3. Medo temos todas querida....mas inda bem que esse medo esta sendo controlado e ela esta aprendendo tantas coisas novas.....bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Controlar medo nao é minha especialidade mas vamos tentado pelo bem da Alana. bjs

      Excluir
  4. AMIGA VER OS NOSSOS FILHOS SE DESENVOLVEREM É ALGO QUE NOS DEIXA TREMENDAMENTE FELIZ.EM RELAÇÃO A BARULHO A MINHA FILHA TAMBÉM É UMA VELHINHA RECLAMA E RESMUNGA MUITO QUANDO O LUGAR É BARULHENTO KKKKK ENTÃO SÃO DUAS CAMILA E ALANA...BJKSS JACK ROSA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O engraçado é que se ela faz o barulho daí tudo certo. Mas se o barulho vem de outro canto aí já viu. bjs

      Excluir
  5. Ai, e o tal do medo algum dia na vida vai embora? Acho que não...As vezes acho que o Victor nao tem medo de nada, moleque nao precisa de estimulo, vem embutido no pacote. Mas meu coracao vive aflito, imagino no caso de vcs entao. Medo de quebrar a boneca fragil, quem nao teria, ne?
    Mas fiquei tao feliz e empolgada com as noticias! Alana se enchendo de energia e vc de coragem! Que bom, amiga! Que bom que esta fazendo bem pra ela (e pra ti, ne?). Imagino a fofura na aula de ginastica, ve se consegue tirar umas fotos pra nos, vai...rs Agora perna de pau, foi demais pra mim...surtei daqui! :)
    Bjs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A perna de pau foi hilária pq eu quase morri e ela nem tchum. Sim, eles não tem medo de nada, NADA. Será que já fomos assim? bjs

      Excluir
  6. Eu tb morro d emedo de várias coisas que a ton vai fazer... mas juro que fecho os olhos e deixo ela aprender... se cair ela levanta, chora mas depois passa. Não sabia esta parte da história da Alana, ela é uma fofa. Por sinal eu ainda tenho medo de perna de pau, corajosa ela heim! ehehhe
    beijoosss
    http://antonellaesuaboneca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eram pernas de pau pra criança, o tombo não ia machucar, mas foi legal ver. Eu te acho super corajosa qdo vejo foto de bicicleta mundo afora fico pensando em te imitar. bjs

      Excluir
  7. Que história é essa de mãe velha? eu tive a Olívia com 32 e hoje me sinto como uma adolescente (hehehe brincadeira, tá?). Os medos de mãe são algo... eu também já sou cheia de medos com a Lili acho que a gente quer proteger pq sabe o quanto estas cosinhas que chamamos de filhos são preciosas.
    Bjocas
    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive Alana com 34, mas quem está contando né? Eu parei há tempos. Adolescencia ficou longe pra mim, amiga, e medo virou meu sobrenome. Um amigo me perguntou como era ser mãe, sem dramas e sentimentos perfeitos, tipo: me realizou, é um amor sublime. Ele queria saber o que muda realmente. Eu disse que era assim: a gente passa a vida escondendo os pontos fracos pra que ninguem nos derrube com facilidade. Imagine se eu pegasse minha maior fraqueza e a colocasse no peito em forma de alvo, pra que qualquer um pudesse ver e me atingir se quisesse. Assim são os filhos, se algo os afeta te acerta no peito, e agora todo mundo sabe qual é a sua fraqueza. Medo, eu? bjs

      Excluir
  8. Oi Nanci, que bom que o seu medonão te paralisa mais.
    A gisnástica ritmica é muito legal né? A Sofia já fez mas agora trocou pela ginástico olímpica.
    Muito linda a Alana brincando no escorrega. Adorei o vídeo.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela está amando e já grava os nomes dos saltos. A professora elogiou e to achando o maximo. bjs

      Excluir
  9. ah ...
    mas só noticia boa desta menininha, heim..
    este medo não é só seu, a maior parte das mães tem.
    agora.... a gente precisa ir trabalhando este medo que é nosso pra não virar medo deles, né.
    ahhhh
    mas você admitir isso é meio caminho andado.
    parabéns Nanci...
    parabéns pelo esforço diario de ser esta mãe tão dedicada.
    bjs

    ResponderExcluir

Escreve que eu respondo! Vou responder aqui mas prometo fazer uma visitinha de volta!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails