domingo, 9 de março de 2014

De volta.

Minha flor!
Pela milésima vez vamos tentar reativar esse canal de comunicação. Tenho ficado muito no face, por que temos sempre uma resposta rápida a cada post, então o blog ficou abandonado, mas acho que ele é o canal ideal pra falar com mais profundidade sobre o que queremos. 
Alana está bem, mas ainda não está no ideal. Está com problemas de aprendizagem, segundo a coordenadora da escola. Eu nao acredito. Eu simplesmente nao vejo como eles veem, mas tenho que aceitar certar intervenções. Esse ano eles querem focar na aprendizagem e nao no comportamento. A professora desse ano é mais experiente que a do ano passado. Parece ser mais paciente também. Não vou comparar as duas, são pessoas e formações diferentes. A prof Camila do ano passado fez o possivel pela Alana mas nós tivemos algumas rusgas durante o processo. Não ajudou em nada, mas aconteceram e pronto. A prof desse ano se chama Elaine, tem filhos, deve ter a minha idade mais ou menos. Desde o início se mostrou bem paciente e acessível. Ainda gostaria de conversar mais com ela sobre o comportamento da Alana pra que ela nao seja surpreendida. Mas como falei esse nao é o foco desse ano. Vamos ter que focar na aprendizagem. Na matemática. Ainda nao sei se isso vai ser bom mas por hora vamos ver como ela se sai na aprendizagem do dia a dia, nao nas provas. Sinto que ela nao tem vontade de ir a aula, mas gosta do ambiente, dos amigos, da biblioteca. Como disse o psicólogo da escola as brincadeiras sempre vão ganhar da hora de estudar. Sempre. Não sei muito o que esperar este ano. Não fiquei mais paciente, mas fiquei mais compreensiva. Com Alana, nao com as pessoas que lidam com ela. Ainda nao to nesse nível espiritual. Ainda com a saúde fragil, física e espiritual. Ainda com problemas pra lidar com derrotas, com descaso, com a falta de produtividade, a falta de dinheiro. Estou fazendo terapia também. Isso é novo e esquisito. A moça é um doce, uma criatura amável, bonita, educada. Uma flor. Ainda não sei como lidar com ela. Ainda não sei se está ajudando, são dois meses e me sinto muito exposta (EU, EXPOSTA, QUEM DIRIA?). Alana continua na musicoterapia, na psicóloga e na psicopedagoga, alem das consultas regulares com a neuro. Ainda com medicação. Está mais criativa, mais carinhosa, muito mais falante, comunicativa. Ainda medrosa, ainda preguiçosa. Alana é uma criança muito boa de lidar, de fácil trato. Fico me perguntando o quanto ela seria maravilhosa se nao houvesse o autismo. Será que seria mais do que já é? Não sei. Sonho as vezes com a vida sem autismo. Sei que nesse mundo isso provavelmente nao acontecerá, mas ainda não o engoli. Acho que no dia que isso acontecer eu terei vencido na vida. 

7 comentários:

  1. Olá, acabo de visitar seu blog e segui-lo. Lhe desejo foco, sucesso e força. Que conquiste muitas realizações através do mesmo. E também convido você e seus/suas leitores/leitoras a conhecer o meu blog: toobege.blogspot.com.br . Beijinhos e espero você lá também *0*

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nanci!
    Que bom que voltou! Maravilhoso você fazer terapia e no início é normal esse sentimento de exposição e evasão! :D Todos nós deveríamos fazer terapia. Isso te dará mais força para superar o dia a dia, que imagino não tem sido fácil.
    Estou assistindo a série americana "Parenthood" que tem um garoto com "Asperger". Os pais ficaram no dilema da troca de escola, de uma direcionada para outra normal, aconselhada pelo psicólogo. Acho muito bacana o personagem - ele é direto, muito sincero e aqui em casa todos param para assistir quando ele aparece. Muito carismático. A série fala de vários assuntos relacionados à família e não à toa falam sobre o asperger. Soube que é mais comum em meninos, entre outras coisas. Será que não tem como você assistir? Quem sabe tem na web para baixar?
    Tenha fé, garota!! :D
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, adoro qdo comenta! Assisto a série tb, adoro, choro todo episódio, acho super bem feita, bem delicada. Não preciso te dizer que Alana é super parecida com Alex, em tudo! Só essa coisa de superdotado que nao bateu mas o resto é bem parecido. Como o guri trabalha bem, as angustias são bem parecidas as nossas. É tanta coisa que acabei tendo que ter uma ajudinha e fui fazer terapia. Algumas coisas estao se encaixando melhor, e acho que o blog me ajudava muito em outra época, quem sabe volta a ter o mesmo efeito terapeutico que tinha. Muito feliz pelo seu contato, sei que se importa de verdade. Mil beijos e obrigada pela força!

      Excluir
  3. OI Nanci, a gente acaba ficando mais no face mesmo. Mas eu procuro me policiar para manter o blog, mas para ter o registro para as minhas filhas. Hoje mesmo estou com quatro ideias de post e uma enorme preguiça.
    Espero que você se fortaleça cada vez mais, que melhore a sua saúde física, mental e espiritual. Bom que vocês conseguem dar para a Alana todo o tratamento que ela precisa, a atenção e a dedicação. Muito bom saber que ela está mais criativa, mais falante e mais comunicativa.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe

    ResponderExcluir
  4. Oi, descobri seu blog pelo face. Eu gostaria de contar um pouco das minhas duvidas. Primeiro nao estou no Brasil, e sim na Suiça por 17 anos, aqui construi minha familia, meu marido com certeza é autista, mas pra mim isso nao fez diferença quando nos conhecemos. Tivemos 4 filhos e o 2° parece muito com ele. Faz 1 mês que recebi um suposto diagnostico pois ainda temos que consultar um especialista. Mas comecei a pesquisar tudo sobre o caso e estou com muitas duvidas, porque meu filho teve um desenvolvimento normal, andou e falou cedo mas descobrimos na idade de 4 anos uma enorme miopia de 13 e 11 graus e 3 de astigmatismo e por conta disso teve acompanhamento de uma especialista algumas horas por semana. Agora esta indo para o ginasio e foi pedido que uma psicoterapeuta o analizasse. O veredito foi 87 de Q.I e uma certa timidez, mas ele tem amigos na escola. O que posso dizer é que ele sempre foi uma criança que o que nao lhe interessa passa desapercebido a seus olhos, pode colocar uma camiseta do avesso, pode esquecer a tolha na hora de ir na piscina. Mas olha nos nossos olhos é super educado, aquele aluno exemplar em comportamento, super sensivel e carinhoso. Bem estou com mil duvidas a respeito e gostaria de conversar para me esclarecer mais sobre essa simbrome, sera que vc poderia me ajudar, Obrigada. Isabel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabel, como vc nao deixou nenhum contato vou responder aqui mesmo. Se quiser conversar pode me procurar no face (Nanci Vieira da Costa) que estou a sua disposição pra qq duvida na qual eu puder ajudar. Bjs.

      Excluir

Escreve que eu respondo! Vou responder aqui mas prometo fazer uma visitinha de volta!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails